Explosão dos dados em um mundo cada vez mais conectado

Não é mais novidade para ninguém que vivemos em um mundo conectado, literalmente. Segundo um estudo recente, por volta de 3 bilhões de pessoas possuem acesso à internet – algo em torno de 40% da população mundial.

Gigantes do mundo da tecnologia tem feito investimentos que visam à inclusão digital. O Facebook, por exemplo, está a frente do projeto Internet.org, a fim de criar soluções para a distribuição de internet à áreas remotas do globo. O Google já está testando sua iniciativa de transmissão de internet através de balões, o projeto Loon.

Abaixo podemos ver o crescimento do acesso à internet ao longo dos anos:

Internet users in the world

Fonte: churchm.ag

Segundo o Gartner, estima-se que até 2020 mais de 20 bilhões de “coisas” estejam conectadas à internet, fundamentando o conceito de Internet of Things (Internet das Coisas, em português).

Cada dispositivo conectado à internet – um smartphone, notebook, geladeira ou até mesmo um carro “inteligente” – gera uma quantidade considerável de dados, através de postagens em redes sociais, conversas de texto em aplicativos de mensagens, navegação no GPS, emails, e etc. Estima-se que 90% de todos os dados gerados na humanidade foram criados nos últimos dois anos.

O site Internet Live Stats fornece uma visão interessante sobre essa “explosão de dados”, detalhando em tempo real diversas informações que são geradas através da internet até o momento, como número de usuários conectados à rede, total de emails enviados, pesquisas realizadas no Google, tweets postados, smartphones vendidos, energia consumida, emissão de CO2, dentro outros índices interessantes.

internetlivestats

Internet Live Stats

Com isso, a informação é um recurso substancial para o sucesso financeiro de diversos negócios, e todos esses dados proporcionam o desafio complexo de extrair insight, ou seja, fazer com que essas informações sejam um diferencial competitivo em seu mercado.

Com o objetivo de extrair cada vez mais conhecimento dessa colossal quantidade de dados é que nos últimos tempos um termo vem ganhando bastante espaço, o famoso Big Data, que visa utilizar os recursos computacionais cada vez mais poderosos a fim de gerar inteligência a partir de dados, que são criados em alto volume, das mais diversas maneiras em todo o canto do planeta terra.

E as empresas já estão investindo pesado nesse sentido, inclusive no Brasil, onde uma pesquisa aponta um investimento em torno de R$ 3,2 bilhões em Big Data em 2016. É um caminho sem volta que só tende a crescer, assim como foi a onda dos computadores pessoais dos anos 70/80.

Logo, o Big Data além de favorecer tomadas de decisões mais inteligentes, propicia a criação de novos serviços cada vez mais individualizados, uma vez que as pessoas expõem seus gostos e preferências a todo momento através da internet (clube de coração, banda favorita, lugares que visita com frequência, etc.).

A implementação de soluções de Big Data é complexa, envolvendo vários campos de estudos, que vão desde matemática, estatística e computação, por exemplo. Já é possível observar o sucesso do uso de Big Data em diversos exemplos espalhados pelo mundo, como no caso da eleição de Barack Obama em 2012 para presidente dos Estados Unidos, no qual conseguiu atingir rastrear as intenções de votos dos eleitores americanos e direcionando a campanha de maneira eficaz, atingindo o público certo com a abordagem correta.

Enfim, com cada vez mais dispositivos conectados à internet, novos dados surgirão de maneira exponencial, estruturados ou não, apoiando o surgimento de novas tecnologias, profissionais, ferramentas e abordagens computacionais que serão responsáveis pelo gigantesco desafio de extrair o maior conhecimento possível destes, proporcionando tomadas de decisões cada vez melhores em diferentes setores da sociedade, impactando direta ou indiretamente a vida de todas as pessoas.

Referências

  • http://www.gartner.com/newsroom/id/3165317
  • https://www.sciencedaily.com/releases/2013/05/130522085217.htm
  • http://datastorm.com.br/casos-inusitados-de-uso-de-big-data/
  • https://www.linkedin.com/pulse/afinal-o-que-%C3%A9-machine-learning-tom-canabarro
  • http://www.tecmundo.com.br/google/72813-google-investir-projeto-internet-via-satelite-em-marte.htm
  • http://epocanegocios.globo.com/Empreendedorismo/noticia/2016/02/nova-formula-da-kroton.html

Written by Diego Cavalca

Graduado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas pela UNILINS em 2012, atualmente Mestrando em Ciência da Computação na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

  • Fred Oliveira

    Excelente artigo, é de se ficar empolgado com as possibilidades que existem hoje para criar negócios e vender ideias,

    Muito obrigado.